Ex-Alunos

Ana Carolina Soutello

Ana Carolina Soutello

“Construí muitas amizades e vínculos fortes no Jean Piaget, tanto de amigos como de professores, funcionários, famílias.”   Ana Carolina dos Santos Soutello Alves se formou em 2013 e atualmente cursa Serviço Social. A ex-aluna conta que sua paixão...
Ana Carolina Soutello
Ana Carolina Soutello

“Construí muitas amizades e vínculos fortes no Jean Piaget, tanto de amigos como de professores, funcionários, famílias.”

 

Ana Carolina dos Santos Soutello Alves se formou em 2013 e atualmente cursa Serviço Social. A ex-aluna conta que sua paixão pela profissão começou no Colégio.

Durante 17 anos, o Jean Piaget foi a segunda casa de Ana Carolina. Atualmente, ela cursa Serviço Social na Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Franca. Ela diz que descobriu seu interesse pela área ainda no Colégio. “Foi no 1º ano que, ao fazer um trabalho sobre crianças abandonadas para o Seminário, pude conhecer um pouco mais do papel de uma assistente social”.

A ex-aluna conta que começou a participar de projetos sociais com o Colégio quando estava na primeira série do Ensino Fundamental I, e continuou com os trabalhos até o último ano do Ensino Médio, quando atendia as crianças da Associação Santa Isabel de Combate ao Câncer (ASI). “Este projeto me trouxe um novo olhar de vida, de felicidade, de dificuldades e também de novas amizades, pois pude manter contato com muitas das crianças e famílias até hoje”.

Lembranças

Ana conta que mantém contato com seus colegas de sala e, quando podem, eles se reúnem para conversar e lembrar momentos que tiveram no Colégio, como aulas que marcaram a turma e situações engraçadas que passaram juntos.

O apoio dos professores nesse período também é lembrado com muito carinho pela ex-aluna. “São pessoas queridas que passaram por determinado momento da minha vida e que hoje o contato não é o mesmo, pois cada um vai para um lado, mas o carinho que sinto é o mesmo ou talvez maior”.

Universidade

O Serviço Social despertou em Ana curiosidade e uma imensa paixão pela prática profissional do Assistente Social. Atualmente ela faz parte de dois grupos de extensão da Universidade, o NECRIA (Núcleo de Estudos da Criança e do Adolescente), onde o estudo é voltado ao Estatuto da Criança e do Adolescente, fazendo um trabalho com crianças entre oito e 10 anos, e o PETSS (Programa de Extensão Tutorial de Serviço Social da Unesp Franca), no qual faz uma extensão no Grupo de Oficinas Temáticas (GROTE), e levam para dentro de uma escola pública da cidade atividades para as crianças ligadas à temática da arte no colégio.

“Sempre acreditei na importância do trabalho voluntário para a vida das pessoas. A gente passa a olhar certas coisas com outro olhar a partir das dificuldades, facilidades, tristezas e felicidades. Acredito que no trabalho social a gente deve começar desde cedo a encarar as coisas sem julgamentos e pré-conceitos”, finaliza Ana.

Beatriz Lucio

Beatriz Lucio

“Sempre soube onde queria estudar, mas quando eu estava no 2º ano ainda não tinha ideia do que queria fazer. Fiz a orientação vocacional e consegui perceber que queria um curso na área de biológicas”.   Beatriz Lucio Bueno...
Beatriz Lucio
Beatriz Lucio

“Sempre soube onde queria estudar, mas quando eu estava no 2º ano ainda não tinha ideia do que queria fazer. Fiz a orientação vocacional e consegui perceber que queria um curso na área de biológicas”.

 

Beatriz Lucio Bueno estudou no Jean Piaget durante o Ensino Médio, entre 2011 e 2013. Ela conta que realizou o sonho de estudar na USP e hoje cursa Farmácia-Bioquímica.

A ex-aluna diz que sempre soube onde queria estudar e descobriu que queria cursar algo relacionado com a área de biológicas na orientação vocacional do Colégio. Ela relata que durante o período de orientação, entrevistou profissionais de cursos que lhe chamavam a atenção e o curso de Farmácia a interessou por conta das áreas de atuação, que envolvem Química, Biologia e Saúde. Segundo Beatriz, a orientação vocacional acabou sendo muito importante para abrir os olhos para outras possibilidades de carreira.

Lembranças

A estudante de Farmácia-Bioquímica conta que guarda boas lembranças das festas que os alunos do Ensino Médio organizavam para as crianças da Santa Casa na no Colégio. “Era uma sensação muito boa de poder brincar com aquelas crianças tão fofas e ver que elas também gostavam muito de estar lá!”

Universidade

Em janeiro de 2015, Beatriz participou de um trabalho de extensão da USP, a Jornada Científica dos Acadêmicos de Farmácia-Bioquímica. Trata-se de um projeto voluntário no qual os alunos graduandos em Farmácia se instalam em uma cidade carente e realizam, durante 20 dias, orientações sobre saúde, atividades educativas e exames clínicos e laboratoriais com a população. “Essa experiência foi muito marcante para mim, pois vi na prática a atuação do farmacêutico na sociedade e meu papel como indivíduo em relação a ela”.